Inteligência Artificial na Publicidade: Como será essa realidade?

Inteligência Artificial na Publicidade: Como será essa realidade?

A Inteligência Artificial é tema de discussões em todo o mundo. É indiscutível o seu potencial, porém, quanto suas possíveis aplicações, ainda existem muitas dúvidas e questões éticas envolvidas. No artigo de hoje, discorreremos a relação entre Publicidade e Inteligência Artificial.

Inteligência Artificial na Publicidade: Como será essa realidade?

Inteligência Artificial, ou IA, é o nome dado à uma inteligência similar a dos humanos, entretanto, essa é regida por softwares, sistemas e mecanismos tecnológicos. Ao contrário do que muitos pensam, não se trata necessariamente de robôs humanoides: a IA pode ser empregada em aparelhos eletrônicos, por exemplo.

O conceito, surpreendentemente, surgiu após a Segunda Guerra Mundial e o termo foi usado pela primeira vez em 1956, por John McCarthy, um cientista da computação estadunidense.

Recentemente, o físico de reconhecimento internacional, Stephen Hawking, tem feito críticas assustadoras acerca do tema, alertando sobre a possibilidade de milhões de pessoas perderem o seus empregos para as máquinas.

Segundo Hawking, é necessário nos precavermos antecipadamente para que problemas sociais não cresçam exponencialmente. Em contrapartida, ele afirma que a Inteligência Artificial também pode ser usada para aliviar questões gravíssimas como a pobreza e as doenças.

Em suas palavras, “O crescimento da IA pode ser a pior ou melhor coisa que já aconteceu para a humanidade”.

Um exemplo esperançoso: em Oxford (Reino Unido), pesquisadores desenvolveram uma Inteligência Artificial capaz de diagnosticar doenças cardíacas e pulmonares a partir de determinados exames, visto que a IA pode reconhecer padrões, raciocinar a partir de certas informações, aprender conceitos e usá-los no cotidiano.

A Inteligência Artificial na Publicidade

Sabia que se você já pesquisou algo no Google, já utilizou (mesmo que indiretamente) dos benefícios da IA?

Inteligência Artificial na Publicidade: Como será essa realidade?

Isso acontece porque o Google usa um sistema (IA) chamado RankBrain, o qual é responsável por “entender assertivamente o que os usuários querem encontrar” quando buscam algo.

Outra situação em que IA’s já são empregadas e você não sabia é em organizações que, ao traçar os perfis de consumidores, utilizam dessa tecnologia para gerar diversos grupos a partir de dados demográficos e histórico de navegação online.

E assim por diante, podemos falar de Vendas (onde caixas de diálogo abrem-se automaticamente e conseguem estabelecer uma comunicação sobre o produto e as condições de compra), Preço Dinâmico (onde o preço de um produto é estabelecido de acordo com o que as pessoas estão dispostas a pagar), Banners (nos quais certas imagens são modificadas automaticamente de acordo com o público-alvo) etc.

Mas isso é só o que a nossa atual tecnologia permite, fazendo com que a Publicidade deixe de ser, cada vez mais, intuitiva, e passe a ser extremamente analítica no que se diz respeito à assertividade de campanhas extremamente segmentadas, baseada no comportamento dos consumidores.

Ainda tem muito mais por vir… Que tal sonhar um pouquinho?

O futuro da Inteligência Artificial na Publicidade

Acreditar que surgirão apenas algumas coisinhas mais é muito pouco. Centros de pesquisa em todo o mundo, principalmente na China e nos EUA, avançam em pesquisas de propaganda em 3D.

Sabe aquelas cenas de filmes futuristas, como “A Vigilante do Amanhã” ou “Blade Runner”, onde existem “hologramas publicitários”? Pois é, eles estão se tornando realidade e, aliados à Inteligência Artificial, apresentam grande potencial.

Imagine você andando pelo centro da cidade, por volta das 12:30 e, ao parar num ponto de ônibus ou em uma praça, pensa em comer algo pela região.

Antes mesmo de sacar seu celular para pesquisar algum restaurante próximo, um holograma (baseado no seu histórico de compras que está em seu celular e o horário próximo do almoço) de uma hamburgueria apareceria em sua frente, mostrando os lanches, os preços, métodos de pagamento e muito mais.

Parece loucura, não é mesmo?

E ainda existem algumas barreiras éticas quanto a isso: não é um tanto quanto invasivo? Como faremos para bloquear este tipo de publicidade, caso não queiramos?

Confira o vídeo, feito pela galera do TecMundo, com as informações que obtiveram na CES 2017, o maior evento de tecnologia do mundo.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e assine nossa newsletter para receber novidades logo que saírem!



Share article on

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *