História do Marketing

História do Marketing: como ele se tornou o que é hoje?

O Marketing do Século XXI é repleto de inovações e completamente dependente do constante advento tecnológico: se considerarmos o meio digital como exemplo, existem inúmeras ferramentas de marketing para disparar e-mails, captar leads, entender o comportamento dos visitantes de seu site etc.

Mas quando o Marketing surgiu? Como era praticado antigamente? Como aconteceu sua difusão? Que práticas do século passado ainda são utilizadas? Continue lendo o artigo para saber mais.

História do Marketing

História do Marketing

Antes de prosseguirmos, vamos à uma das definições aceitas de Marketing: estratégia empresarial de otimização de lucros por meio da adequação da produção e oferta de mercadorias ou serviços às necessidades e preferências dos consumidores, recorrendo a pesquisas de mercado, design, campanhas publicitárias, atendimentos pós-venda etc.

Sabendo disso, é possível traçar um paralelo de Marketing com Impérios da Idade Média e até sociedades ainda mais antigas. Constantinopla, vale citar, possuía um mercado que abrangia praticamente toda a Eurásia e o Norte da África.

Vista como um polo econômico, nela já era possível encontrar algumas estratégias de venda (como anúncios em cartazes, todos feitos à mão) e oferta de produtos segmentada para determinados públicos, ou seja, mesmo que de uma maneira “precária”, já havia Marketing.

O surgimento das mídias impressas

O Marketing mais parecido com o que vemos hoje, em mídias impressas, com anúncios, campanhas e afins, só foi possível graças a invenção da prensa tipográfica de Gutenberg, no séc. XV, mais especificamente em 1450.

Letras usadas na prensa tipográfica

Exemplo de letras usadas na prensa.

Antes da prensa tipográfica, todos os textos eram produzidos à mão! É quase inimaginável escrever tudo à mão, não é mesmo? Imagine só o trabalhão que daria…

Não é à toa que até então a leitura era exclusiva de classes sociais elevadas e do clero: era impossível produzir textos em massa!

Consequentemente, iniciou-se a produção de jornais, mas estes só começaram a ser publicados em massa no século XVII. Com a divulgação ao público, surgiram os primeiros anúncios impressos, que retratavam eventos, peças de teatro, produtos e até serviços.

A eficácia da divulgação impressa é comprovada, tanto é que estratégias do tipo são utilizadas até hoje.

Os Outdoors e os Cartazes

Mais uma vez os povos antigos se destacam por sua perspicácia. Na Roma Antiga, existiam cartazes muito próximos daqueles que vemos hoje: retângulos divididos por tiras de metal eram instalados sobre muros e pintados com cores claras, onde qualquer interessado poderia escrever anúncios.

Nas ruínas de Pompéia foram encontrados, numa única rua, 23 quadros destinados à propaganda.

Em 1772, era tão grande a proliferação da propaganda que a profissão de “colador” foi regulamentada.

O registro mais antigo de locação de um outdoor se dá em 1867, mas acredita-se que antes disso ele já era utilizado.

Outdoors fazem parte do que conhecemos como Outbound Marketing. Veja a diferença entre Inbound Marketing e Outbound Marketing aqui.

Marketing Fonográfico

Os séculos XIX e XX trouxeram avanços tecnológicos extremamente significativos que perduram até os dias atuais. Estamos falando do telefone, do rádio e, por fim, da televisão.

A difusão do telefone se deu apenas em 1946, nos Estados Unidos, setenta anos depois de ser inventado.

O telemarketing, outra prática ainda usada, surge nos EUA quando os aparelhos telefônicos já são uma realidade para a sociedade estadunidense.

Sua rápida evolução ocorre devido à alta eficácia do telefone, tanto para o consumidor quanto para o empresário, pois é um meio de comunicação direto, pessoal e imediato (MANCINI, 2006).

Depois do telefone, o rádio ocupa o papel de destaque tecnológico. Desenvolvido principalmente para fins militares, devido a culminação da Primeira Guerra Mundial, ele passa a ter transmissões abertas no início da década de 1920.

A partir daí surgem os primeiros spots e jingles. Veja um exemplo de um jingle da maionese Hellmann’s, vinculado no Brasil nos anos 60:

 

Marketing Audiovisual

O surgimento da mágica: a televisão como meio de divulgação sem precedentes.

Até então, era possível divulgar um produto ou serviço através do som, da imagem ou verbalmente, através das pessoas.

A televisão representa a junção de todos esses três e rapidamente percebeu-se o poder de persuasão contido no aparelho. A verba de anúncios para TV superou a de rádio e outdoors em poucos anos. Gigantes de diversos segmentos tomaram conta dos anúncios.

Comercial Nescau:

 

O Marketing Digital

Também conhecido como Marketing Moderno, o Marketing Digital só é viável devido aos computadores, celulares e aparelhos do tipo. Ele começa a ser praticado no final do século passado, com o boom da Internet e a empregabilidade do computador pessoal, termo defendido por Steve Jobs.

Com uma proposta incrivelmente atrativa também para os pequenos e médios empreendedores, não é necessário uma verba milionária para colocar em prática as estratégias digitais.

E como a prática leva a perfeição, calcula-se com exatidão os resultados provindos do Marketing Digital: existe uma infinidade de maneiras e ferramentas para se medir cada fator relevante de um plano de marketing.

Sabe-se facilmente, por exemplo, quanto tempo um visitante passou em seu site, de onde ele veio e onde ele clicou, o quanto um investimento foi eficaz (ROI – Retorno Sobre Investimento), quantos usuários clicaram em seu anúncio no Google etc.

Novo modo de consumir na era tecnológica

Consumidor do Século XXI

Os avanços tecnológicos do séc. XXI trouxeram diversas mudanças nos padrões de consumo e comportamento da população, como um todo.

O consumidor moderno não é mais passivo!

Hoje ele alcança toda a informação que desejar com poucos cliques, inclusive na palma de sua mão. E, como se não bastasse, também é possível fechar uma compra via web, em uma das centenas de e-commerces que oferecem o produto buscado.

O consumidor moderno busca, pesquisa através do meio digital sobre informações e preços.

A partir desses novos padrões de consumo e comportamento que permeiam o pré-compra, criou-se o inbound marketing, uma forma de atrair interessados em seus serviços/produtos através de conteúdo de qualidade.

Na maioria das vezes para o potencial cliente, não basta que um anúncio do produto seja colocado. Ele busca informações, e é isso que precisamos fornecer a eles! 

A premissa do inbound é fornecer um conteúdo que chame a atenção no pré-compra, a fim de convertê-lo futuramente em um cliente, enquanto ele é conduzido pelas etapas do funil de marketing.

Quer saber mais sobre o Marketing Moderno e como ele pode fazer com que sua empresa se posicione competitivamente no mercado? Entre em contato agora mesmo:

Envie-nos uma mensagem

Referências:

MANCINI, L. Call Center: Estratégia para Vencer. 2006. Editora Summus.



Share article on

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *